Autoavaliação Institucional

A FGV DIREITO RIO pauta-se na cultura da avaliação para planejar e desenvolver sua proposta pedagógica. Ao articular princípios, diretrizes e ações, a Avaliação Institucional visa manter a excelência do trabalho acadêmico e gestor da instituição frente ao desafio de “formar lideranças para pensar o Brasil do século XXI e ser referência no ensino e na pesquisa do Direito”.

  • O que é planejar, desenvolver e avaliar para a FGV DIREITO RIO?
    • Superação de resistências, receios, individualismos, entraves e problemas;
    • Conquista da confiança no trabalho coletivo e da participação no desenvolvimento institucional;
    • Responsabilidade com a missão da FGV DIREITO RIO;
    • Identificação de dificuldades e de potencialidades;
    • Compromisso com a democratização e autonomia;
    • Integração de esforços;
    • Negociação de conflitos;
    • Compreensão das relações de interesses individuais e coletivas;
    • Desenvolvimento institucional em consonância com a proposta educacional.
  • O que é CPA?

    A Escola de Direito do Rio de Janeiro da Fundação Getulio Vargas, mantendo-se de acordo ao disposto no artigo 11 da Lei 10.861/04, constituiu, a partir de Resolução Acadêmica, sua Comissão Própria de Avaliação (CPA).

    São atribuições da CPA: condução dos processos de avaliação internos da instituição, de sistematização e de prestação das informações solicitadas pelo INEP, obedecidas as seguintes diretrizes: I - constituição por ato do dirigente máximo da instituição de ensino superior, ou por previsão no seu próprio estatuto ou regimento, assegurada a participação de todos os segmentos da comunidade universitária e da sociedade civil organizada, e vedada a composição que privilegie a maioria absoluta de um dos segmentos; II - atuação autônoma em relação a conselhos e demais órgãos colegiados existentes na instituição de educação superior

    A Comissão se reúne trimestralmente de forma ordinária e extraordinariamente, sempre que necessário, por convocação de seu Coordenador, do Diretor ou de três de seus membros.

  • Quem somos?

    O processo de Avaliação Institucional é coordenado pela Comissão Própria de Avaliação da FGV DIREITO RIO (CPA FGV DIREITO RIO), composta pelos seguintes membros:

    • Fernando Leal - Presidente;
    • Patrícia Sampaio – Representante do corpo docente vinculada à graduação;
    • Leandro Molhano - Representante do corpo docente vinculado à graduação e à pós graduação stricto sensu;
    • Mario Brockmann Machado – Representante do corpo docente: Professor Fundador;
    • Maria Eduarda de Skowronski Gomes – Representante do corpo discente da graduação;
    • Fernanda Marques – Representante do corpo docente do mestrado;
    • Dione Valesca Xavier de Assis – Egressa graduação;
    • Margareth Jacobi – Representante do corpo técnico-administrativo;
    • Sérgio França – Representante do corpo técnico-administrativo;
    • Marco Antonio Amaral – Representante do corpo técnico-administrativo;
    • Armando Strozenberg – Representante da sociedade civil organizada;
    • Pedro A. Freitas – Representante da sociedade civil organizada;
    • Erick Navarro – Representante da sociedade civil organizada.
  • Depoimentos
     
  • A Autoavaliação

    A FGV DIREITO RIO realiza anualmente a autoavaliação conforme os 5 eixos indicados pala PORTARIA MEC Nº 1.382, de 31 de Outubro de 2017.

    1.  Planejamento e Avaliação Institucional;
    2.  Desenvolvimento Institucional;
    3.  Políticas Acadêmicas;
    4.  Políticas de Gestão;
    5.  Infraestrutura.
  • A Ouvidoria

    Este é o canal de comunicação entre a comunidade acadêmica, a sociedade civil e a FGV. Através dele é possível reclamar, enviar sugestões e esclarecer dúvidas sobre os serviços prestados.

    A ouvidoria tem o objetivo de:

    1. Enfatizar a comunicação aberta, transparente e objetiva, com alunos, professores das Academias e do Instituto de Desenvolvimento Educacional;
    2. Atuar com precisão e agilidade no esclarecimento de dúvidas e informações solicitadas;
    3. Atender os Instrumentos de Avaliação do MEC;
    4. Receber manifestações, encaminhar aos setores responsáveis, analisar suas respostas e verificar procedimentos cabíveis;
    5. Acompanhar providências adotadas como soluções aos problemas indicados;
    6. Aprimorar processos internos das Escolas e do Instituto de Desenvolvimento Educacional a partir da identificação de demandas;
    7. Assegurar sigilo e confidencialidade no atendimento;
    8. Responder às manifestações dos usuários, no menor prazo possível.
  • O Processo de Planejamento Estratégico

    Indicadores da Avaliação Institucional da FGV DIREITO RIO subsidiam o processo de Planejamento Estratégico para alcançar os objetivos traçados a curto, médio e longo prazo.

    Relatório da CPA FGV DIREITO RIO, as reflexões da Comunidade Acadêmica realizados no Seminário Anual de Planejamento e relatórios de atividades de cada área retroalimentam a diretoria, os coordenadores de área e os coordenadores de cada e a gerência executiva para a elaboração do Planejamento Estratégico.

  • Compliance

    O constante aperfeiçoamento do Plano de Desenvolvimento Institucional potencializa a imagem da FGV DIREITO RIO e, ao mesmo tempo, favorece o acesso a informações e sua objetivação em ações que conjugam na comunicação com a comunidade acadêmica e o mercado de trabalho.

  • CPA FGV DIREITO RIO – Relatórios

    A Comissão Própria de Avaliação – CPA da FGV DIREITO RIO, em conformidade com a legislação vigente do Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior (SINAES), conduz os processos de avaliação internos desta instituição com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento da Educação Superior e disponibilizar informações ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP).

    A autoavaliação coordenada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA DIREITO RIO) é um processo que serve à instituição e ao seu desenvolvimento, através de percursos metodológicos de administração educacional.

    A CPA investiga os processos internos da FGV DIREITO RIO, bem como sua percepção externa pela sociedade civil.  Há representatividade igualitária de todos os setores da instituição, ligados ao ensino e à pesquisa, tais como, graduação, pós-graduação e centros de pesquisa, corpos diretor, docente, discente e técnico-administrativo, além de dois representantes da sociedade civil.

    A CPA busca informações sobre indivíduos, equipes, setores e atividades da FGV DIREITO RIO para a compreensão das dimensões indicadas pela legislação CONAES/SINAES/INEP/MEC. A CPA enfatiza aspectos ligados a níveis de compromisso, de participação, de trabalho em equipe, de parcerias com outros setores, de comunicação e de cumprimento das metas planejadas coletivamente.

    As avaliações dos dados investigados pela CPA baseiam-se na leitura de documentos (Projeto Político de Curso/PPC, Plano de Desenvolvimento Institucional/PDI e de relatórios de Área), nas análises de dados coletados por formulário específico e nas discussões em torno da articulação destes com as dimensões estabelecidas pelo MEC.

  • CPA FGV DIREITO RIO - Documentos Institucionais