Pedro Steenhagen, pesquisador do Núcleo de Estudos Brasil-China, é admitido no Ph.D. da Universidade Fudan com bolsa integral

segunda-feira
12/07/2021

Pedro Steenhagen, pesquisador do Núcleo de Estudos Brasil-China, é admitido no Ph.D. da Universidade Fudan com bolsa integral

Pedro Steenhagen, pesquisador do Núcleo de Estudos Brasil-China, é admitido no Ph.D. da Universidade Fudan com bolsa integral

O pesquisador do Núcleo de Estudos Brasil-China da FGV Direito Rio, Pedro Steenhagen (石昊), foi aprovado, com bolsa integral do China Scholarship Council (CSC), no Ph.D. em Política Internacional da Escola de Relações Internacionais e Assuntos Públicos (SIRPA) da 复旦大学 – Universidade Fudan, localizada em Shanghai. Segundo o QS World University Rankings 2022, a Fudan é a 31ª melhor universidade do mundo e a terceira melhor da China.
 
No início de abril, Pedro recebeu a notícia de que havia sido pré-admitido na Universidade Fudan. Então, em 17 de junho, veio o convite da Embaixada da China no Brasil para uma reunião online sobre os resultados oficiais de admissão e de bolsas. Finalmente, no dia 23 de junho, em reunião com a Embaixada e com o Ministro Conselheiro Shu Jianping, teve a confirmação de sua admissão com bolsa integral no Ph.D. em Política Internacional da Universidade Fudan. Antes disso, o pesquisador já havia sido aprovado com bolsa integral para o Ph.D. em Ciência Política na Universidade Normal do Leste da China (ECNU) e pré-admitido na Universidade Shandong, as outras duas para as quais havia se candidatado na China, mas, no fim, optou pela Fudan, sua favorita.
 
O Programa de Doutorado em Política Internacional da Universidade Fudan conta com disciplinas como "Desenvolvimento Político na China Moderna", "Diplomacia Chinesa" e "Políticas Públicas Chinesas", questões pelas quais Pedro tem interesse. A Fudan também possui um Centro de Estudos dos BRICS, um ambiente promissor para desenvolver pesquisa. Além disso, entre as vantagens de se estudar na China, o pesquisador cita a experiência cultural, o aprendizado sobre a visão, a filosofia e o pensamento chineses e os cursos de mandarim, oferecidos pela Fudan e obrigatórios por um ano. "A língua e a cultura chinesas são lindas, extremamente ricas e muito interessantes de se aprender, e eu quero valorizar essa oportunidade para aumentar consideravelmente meu nível de chinês e meu entendimento sobre esse incrível país pelo qual tenho tanta admiração. É cada vez mais necessário que diminuamos as barreiras linguística e cultural entre China e Brasil", afirma.
 
A aprovação de Pedro contou com a colaboração do Coordenador do Núcleo de Estudos Brasil-China, professor Evandro Menezes de Carvalho, que forneceu uma das duas cartas de recomendação para todas as suas candidaturas. "Além dessa carta de recomendação, que foi muito elogiosa e certamente pesou positivamente na minha seleção, o Evandro me deu muitas dicas e muitos conselhos, me colocou em contato com diversos pesquisadores e professores brasileiros e chineses, me ajudou com a revisão da minha proposta de pesquisa e me passou muita confiança. Sem dúvida, muito mais que um professor e o coordenador do Núcleo de Estudos Brasil-China, o Evandro tornou-se, para mim, um verdadeiro mentor e amigo", conta.
 
Trabalhar com o professor Evandro foi uma das motivações para que Pedro participasse do processo seletivo para tornar-se pesquisador do Núcleo de Estudos Brasil-China. Além disso, ingressar nessa vaga foi uma chance de consolidar sua trajetória acadêmica e profissional com a China. Segundo ele, "o Núcleo me preparou da melhor forma possível para chegar aonde estou hoje, me abriu muitas portas e fez todas as minhas expectativas serem superadas em termos de aprendizado e de visibilidade. Ao longo desse tempo, desenvolvi uma conexão muito forte com o Evandro e com o pesquisador doutor do Núcleo, Daniel Veras, outra pessoa que muito admiro, por quem tenho imenso carinho e que tem uma enorme experiência com China, tendo lá vivido por mais de 10 anos".
 
Sobre suas expectativas para o Ph.D., Pedro, que já esteve na Universidade Fudan em 2018 como bolsista do governo de Shanghai para um curso de verão sobre os BRICS, avalia: "É uma honra poder fazer meu doutorado lá. Tenho certeza de que a Fudan me abrirá muitas portas, portanto quero poder me concentrar e me esforçar para ser bem-sucedido no programa, estreitar relações já existentes, criar novos laços e aproveitar ao máximo essa fase que se inicia. Tenho uma grande paixão pela academia e por estudos chineses e, com muita humildade, espero contribuir cada vez mais para os debates sobre China e para a construção de pontes importantes na relação sino-brasileira. O fortalecimento da amizade Brasil-China é algo da mais alta importância".
 
Além de pesquisador na FGV Direito Rio, Pedro também é Editor-Chefe da Observa China (观中国), Joint Research Fellow do Centro de Estudos Latino-Americanos e Caribenhos da 西南科技大学 – Southwest University of Science and Technology e aluno no curso OiChina Mandarim. Ele possui Mestrado em Análise e Gestão de Políticas Internacionais pelo Instituto de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (IRI/PUC-Rio), Especialização em Relações Internacionais pelo Clio Internacional e Bacharelado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (FND/UFRJ).