Professor da FGV Direito Rio participa de documentário sobre Belt and Road

quinta-feira
09/05/2019

Professor da FGV Direito Rio participa de documentário sobre Belt and Road

Professor da FGV Direito Rio participa de documentário sobre Belt and Road

O Coordenador do Núcleo de Estudos Brasil-China da FGV Direito Rio, Evandro Menezes de Carvalho, participou do documentário "Light of Wisdom - Belt and Road", gravado pela Xinhua e transmitido pela CCTV Prime Time. A produção chinesa se dedica a contar a relação de 14 especialistas com a China e o docente foi o único representante das Américas a participar. “Me senti muito honrado quando recebi o convite da Xinhua. Este reconhecimento deve-se mais, acredito, pelo meu esforço constante de aprender sobre a China e, também, de ajudar o Brasil a entender melhor o que é a China hoje”, relembra o professor.

O tema central do documentário é a "Iniciativa Belt and Road" (em português, "Cinturão e Rota"), uma forma abreviada para designar o Cinturão Econômico da Rota da Seda e a Rota da Seda Marítima do Século XXI. Estas duas iniciativas foram lançadas pelo presidente chinês, Xi Jinping, no final de 2013, e visam conectar a Ásia, a Europa e o Norte da África. “Sendo assim, o mapa original do Cinturão e Rota está bem distante do Brasil. Contudo, o conceito desta nova rota da seda tem sido proposto pelo governo chinês a outros países e regiões do mundo. Em janeiro de 2018, por ocasião da Segunda Reunião Ministerial do Forum China-América Latina e Caribe (Forum China-CELAC), no Chile, em mensagem enviada para os líderes presentes na reunião, o presidente Xi convidou os países latino-americanos para participarem ativamente do Cinturão e Rota”, explica o professor Evandro.

Para o docente, é preciso entender melhor o conceito de desenvolvimento proposto pelo Cinturão e Rota para avaliar como a relação do Brasil com a China pode ter maiores e melhores benefícios mútuos. “Os investimentos chineses chegaram antes da própria iniciativa do Cinturão e Rota ser lançada. E, uma vez que esta iniciativa se tornou prioridade para a política externa chinesa, não faz sentido ignorá-la”, avalia.

O tema também foi assunto do "III Seminário Brasil-China Um Cinturão, Uma Rota e Um Rio: caminhos regulatórios para os negócios entre China e Rio de Janeiro", realizado no último dia 07 de maio na Fundação Getulio Vargas. O evento foi organizado pelo Núcleo de Estudos Brasil-China da Escola, que está em seu terceiro ano, em parceria com a Associação Brasileiras de Empresas Chinesas (ABEC). “O Núcleo está em um processo gradual de construção de sua agenda. Temos realizado um grande seminário a cada ano, diversos encontros com delegações chinesas e participação em diversos eventos na China”, aponta.

Desde 2013, Evandro Menezes de Carvalho se dedica aos estudos sobre a China, quando o professor iniciou a sua temporada de três anos de pesquisas no âmbito do Programa OEA-China Scholarship Council. “Inicialmente estive vinculado à faculdade de direito da Universidade de Shanghai de Finanças e Economia como senior scholar e, em seguida, fui convidado para trabalhar no Center for BRICS Studies da Universidade Fudan. Nestes três anos me dediquei ao estudo do idioma chinês e do sistema jurídico-político da China, bem como da relação com o Brasil, tanto no plano bilateral como no multilateral, com ênfase, neste caso, no BRICS e no Novo Banco de Desenvolvimento”, relembra.