Superação dos obstáculos à aplicação privada do direito da concorrência

Coordenação

Em andamento

O Projeto "Superação dos obstáculos à aplicação privada do Direito da Concorrência" foi realizado pela FGV Direito Rio em parceria com o Fundo de Defesa de Direitos Difusos do Ministério da Justiça e Segurança Pública, entre os anos de 2019 e 2023 (Convênio nº 868875/2018). 

Sobre o teor do projeto 
 
A aplicação do direito antitruste pela via privada é extremamente subutilizada no Brasil, tanto para a cessação de condutas anticoncorrenciais, quanto para a reparação por danos eventualmente sofridos. Embora o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) também se destine à reparação de danos, via Fundo de Direitos Difusos, tal órgão possui como foco garantir o funcionamento livre do mercado e aplicar sanções administrativas.  

Uma vez que o CADE não possui como objetivo reparar os danos causados pelas empresas delitivas aos consumidores, as Ações de Reparação de Danos Concorrenciais (ARDCs) são aquelas que permitem que consumidores eventualmente prejudicados possam solicitar a reparação de danos materiais e morais decorrentes de práticas anticompetitivas. 

As ARDCs (art. 47 da Lei nº 12.529/2011) possibilitam a atuação de indivíduos diretamente lesados, entretanto, devido à ausência de um tratamento específico para o exercício desse direito, surgem diversos obstáculos que impedem sua utilização de forma mais ampla. 
 
Devido a tais obstáculos, apesar do crescimento de condenações no CADE, o número de ARDCs propostas no Judiciário brasileiro se manteve reduzido. Enquanto isso, ações dessa espécie se multiplicam no restante do mundo.  

Desse modo, o projeto teve  como objetivo:  

  1. realizar um amplo mapeamento dos obstáculos ao exercício desse direito, incluindo análise quantitativa e qualitativa de ARDCs;  
  2. apresentar soluções específicas a cada um deles, com base em entrevistas com stakeholders e nas melhores experiências nacionais e internacionais.

Link para download do livro final do projeto: aqui.

 

Financiadores

financiadores


 

As manifestações expressas por integrantes dos quadros da Fundação Getulio Vargas, nas quais constem a sua identificação como tais, em artigos e entrevistas publicados nos meios de comunicação em geral, representam exclusivamente as opiniões dos seus autores e não, necessariamente, a posição institucional da FGV. Portaria FGV Nº19 / 2018.

A A A
Alto contraste

Esse site usa cookies

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação e utiliza tecnologias como cookies para armazená-las e permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações, acesse o nosso Aviso de Cookies e o nosso Aviso de Privacidade.